Em missa no Egito, Papa diz que único extremismo permitido é o da caridade

Foto: Mazur / catholicnews.org.uk

O papa Francisco disse neste sábado (29) no Cairo, diante de milhares de pessoas, em sua maioria fiéis da comunidade católica egípcia, que Deus rejeita o extremismo e o único que permite é o da “caridade”. Em seu segundo e último dia de visita ao Egito, o pontífice celebrou missa em um estádio da capital, sob forte esquema de segurança, para tentar evitar ataques de radicais islâmicos, segundo a Agência Brasil.

Área próxima ao local da missa foi palco, em 2015, da morte de 20 pessoas que assistiam a uma partida de futebol. As mortes ocorreram por causa da aglomeração no evento, embora várias organizações não governamentais tenham dito que a polícia contribuiu com o desastre ao lançar gás lacrimogêneo. “Deus só gosta da fé professada com a vida, porque o único extremismo que Ele permite aos crentes é o da caridade”, disse o papa durante a homilia.

“Qualquer outro extremismo não vem de Deus”, acrescentou Francisco, diante de uma plateia a quem pediu que não tenha “medo de amar a todos, amigos e inimigos, pois o amor é a força e o tesouro do crente”. As palavras do papa foram ditas quando se completam exatamente 20 dias dos ataques terroristas contra igrejas coptas no Norte do Egito. Quarenta e seis pessoas morreram e, no dia seguinte, líderes religiosos, em sua maioria muçulmanos, pediram o fim da violência.

Do BN

Leia também Outras notícias