Dor nos pés pode estar ligada à fascite plantar

Foto: Reprodução/Pixabay.com

Ao longo da planta do pé existe um tecido chamado fáscia plantar que conecta o osso que forma o calcanhar (calcâneo) aos dedos. A inflamação desse tecido dá origem a fascite plantar que quando não tratada pode gerar muita dor, desconforto e atrapalhar atividades simples do dia a dia como caminhar.

A fascite plantar ocorre quando existe um estresse excessivo sobre a região da fáscia, ou seja, quando a região é usada em excesso através de movimentos repetitivos. Por isso que, apesar de não ter idade para desenvolver a fascite plantar, o problema é muito comum em atletas, dançarinos e por conta do sobrepeso pessoas com obesidade.

Outros fatores que contribuem para o surgimento da fascite plantar é o uso de calçados inadequados que não oferecem o apoio suficiente à curvatura dos pés. Cada pé tem um estilo de pisada e o calçado precisa estar de acordo principalmente para os pés com anormalidades como o pé chato, pé cavo e outros problemas. Tudo isso contribui para o desgaste da fáscia e o surgimento da fascite plantar.

Para identificar melhor a fascite plantar o ideal é consultar um médico, mas é possível ter alguns sinais como dor após atividades físicas muito intensas, dor pela manhã ao dar os primeiros passos, dor após subir escadas ou ficar muito tempo em pé. É importante informar ao médico cada detalhe para que um diagnóstico mais preciso seja identificado.

O tratamento para a fascite plantar pode ser através de anti-inflamatórios, analgésicos, alongamento, sapatos adequados para o tipo de pés, assim como palmilhas ortopédicas feito sob medida e até cirurgias para casos crônicos. Um médico poderá indicar o melhor tratamento, mas para ajudar no processo recomenda-se colocar gelo na região dolorida, o uso de protetor para o tornozelo e até talas noturnas.

Para evitar a inflamação da fáscia plantar recomenda-se ter uma vida saudável para evitar a obesidade. Ao realizar atividades físicas fazer alongamentos antes e depois, o uso de calçados adequados para o seu tipo de pé e manter uma boa flexibilidade em toda região dos tornozelos e pés. Dessa forma, é possível preservar mais a fáscia plantar e evitar inflamações como a fascite.

Acorda Cidade

Leia também Outras notícias