Retirar camisinha durante o sexo sem avisar a parceira pode ser visto como “violência sexual”

Retirar a camisinha durante a relação sexual sem avisar a parceira pode ser visto como violência por algumas pessoas. Nos Estados Unidos, casos em que isso acontece tornaram-se objeto de pesquisa e são conhecidos como “stealthing” (de “stealth” ou “furtivo”).

Um estudo recente publicado no periódico Columbia Journal of Gender and Law aponta que isso se trata de um “problema crescente” no país, e com maior incidência em casais heterossexuais.

“É terrível escrever sobre uma forma de violência de gênero pouco reconhecida e ouvir um coro de mulheres dizendo que passou por situações desse tipo”, disse para a BBC a autora da pesquisa, Alexandra Brodsky, no estudo.

Alexandra Brodsky acredita ser necessária criação de legislação específica para que a prática seja considerada “violência sexual” ou “estupro”, mas no estudo realizado por ela, uma das vítimas descreveu o stealthing como um “quase estupro”.

Para a advogada britânica Sandra Paul, especialista em crimes sexuais do escritório de advocacia Kingsley Napley, sediado no Reino Unido, quem faz o stealthing estaria “potencialmente cometendo um estupro”.

Do VN

Leia também Outras notícias